6 de julho de 2022

PT exige Teresa no Senado, André de Paula marca coletiva

O Partido dos Trabalhadores, uma das principais legendas da Frente Popular, exigiu a indicação da deputada estadual Teresa Leitão para a vaga do Senado na chapa encabeçada pelo deputado federal Danilo Cabral, do PSB. A decisão contou com o aval do ex-presidente Lula e da presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, o que deu ares de fato consumado e neutralizou qualquer aspiração do deputado federal André de Paula (PSD), que almejava disputar o Senado Federal pela aliança liderada pelo PSB.

Comunicado oficialmente de que não teria direito à vaga, André de Paula decidiu marcar para esta terça-feira uma coletiva. Nos bastidores já se fala que ele oficializará seu desembarque da Frente Popular e a expectativa é a de que ele possa anunciar sua permanência no páreo pelo Senado, porém por outra aliança que deverá ser na chapa encabeçada pela deputada federal Marília Arraes, pré-candidata à governadora pelo Solidariedade.

Responsável por um dos principais partidos da Frente Popular, o PSD, André de Paula tinha a simpatia da maioria do PSB para disputar a Câmara Alta na Frente Popular mas pesou a favor de Teresa Leitão dois fatores, o primeiro de ser do PT e o segundo de ser mulher, requisitos que que atendiam a exigência de uma identidade maior com a postulação de Lula e um contraponto a Marília Arraes na chapa para evitar que a ex-petista possa angariar o voto lulista.

Como não aceita ser candidato a vice-governador, André de Paula poderá consolidar sua saída da Frente Popular e consequentemente sua liberdade para trilhar o caminho da postulação de Marília Arraes onde poderá ser indicado ao Senado pela robustez do tempo de televisão do PSD, fundamental para consolidar o projeto encabeçado pela postulante do Solidariedade. A expectativa recai sobre o que será dito por André na coletiva de hoje e qual será o tom adotado em relação ao PSB e evidentemente sobre Marília Arraes.

Do Edmar Lyra