30 de junho de 2022

Prazo para declaração do Imposto de Renda 2022 é prorrogado para 31 de maio; Entenda o que mudou

Por Hanna Aragão

Na última terça-feira (04), a Receita Federal prorrogou o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2022 para dia 31 de maio (o prazo anterior era até o dia 29 de abril). Além do prazo para declarar o IR, a Receita também prorrogou os prazos relativos à  declaração de Imposto de Renda de quem saiu do país e da declaração de espólio. De acordo com a Receita Federal até o momento, 10,2 milhões de contribuintes entregaram as declarações, mas a expectativa é que 34,1 milhões sejam entregues esse ano.

A mudança do prazo foi uma oportunidade para que os contribuintes possam declarar a tempo. No entanto, apesar disso, muitos brasileiros ainda têm dúvidas sobre se devem ou não declarar e se estão enquadrados nos requisitos da Receita Federal. A contabilista Eliane Ruffino, explica que a norma geral para este ano definiu que pessoas que tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2021 devem declarar o IR. “Além da norma geral, também devem declarar: quem obteve ganho de capital e realizou operações na bolsa de valores, quem teve rendimentos da atividade rural acima do limite e quem adquiriu bens e direitos acima do limite. Os que optaram pela isenção de ganho de capital, e os que passaram à condição de residente no Brasil, também são obrigados a declarar o Imposto de Renda 2022”.

Outra mudança imposta pela Receita Federal está na data de pagamento de imposto, antes a data final era até 10 de abril, agora, o  contribuinte que tiver imposto a pagar e quiser colocar a 1ª parcela ou a quota única precisa enviar a declaração do IR 2022 até o dia 10 de maio. Para as declarações enviadas após o dia 10 de maio, o pagamento da primeira cota deverá ser realizado com DARF. “Apesar do prazo ter sido prorrogado, os contribuintes devem estar atentos pois a multa para o contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo pode chegar a até 20% do imposto devido”, afirma Eliane Ruff