30 de junho de 2022

PIX já é mais utilizado do que cartões de crédito e débito no Brasil

Do Diário de Pernambuco

O Banco Central indicou que no 4º trimestre de 2021 o PIX teve um crescimento de 34% sobre o trimestre anterior, com 3,89 bilhões de transações, passando cartões de crédito e débito.Com o surgimento do PIX, a adesão aconteceu rapidamente, principalmente para operações que substituem as transferências via TED, DOC ou interbancárias, que caíram mais de 50% em um ano. Como o PIX é rápido, fácil e sem custo para pessoas físicas, sua adoção só tem aumentado.

Os cartões de crédito e débito ainda concorrem com o PIX e tiveram crescimento em sua utilização no mesmo período, um crescimento de 9% para débito, com 3,85 bilhões de transações e 12% para crédito, com 3,73 bilhões de transações. Mas isso também pode mudar.Por enquanto, o valor médio das transações em PIX é bem superior (R$ 495,00) àquelas de cartões de crédito (R$ 126,00) e débito (R$ 67,00). Isso indica que nas pequenas transações do dia a dia, os cartões de crédito e débito predominam, com transferências entre pessoas no PIX.

O uso do PIX de um ano para cá mostrou que há uma evolução nas transferências de pessoas para empresas. Em fevereiro de 2021, 79% das transações eram de pessoas para pessoas contra 9% de pessoas para empresas. Agora, em fevereiro de 2022, mudou para 72% e 18%, respectivamente.Com o PIX troco e saque se tornando mais conhecidos, vai se tornar mais comum, concorrendo com os cartões de crédito e débito. O Banco Central também anunciou uma nova modalidade a ser implantada em breve, o PIX parcelado,concorrendo com o débito automático.