5 de dezembro de 2021

Contra lanterna, Náutico busca diminuir distância para o G4 da Série B

Com apenas 20 pontos conquistados em 31 jogos, o Brasil de Pelotas/RS, lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro, é um clube que se encaixa no termo “virtualmente rebaixado”, já que possui chances muito remotas de escapar da queda à Série C. Em tese, poderia ganhar o rótulo de adversário “perfeito” para o Timbu, que precisa engatar uma sequência de resultados positivos para seguir vivo na luta pelo acesso à Série A. Porém, para o duelo perante os gaúchos, nesta quinta (28), no Bento de Freitas, os alvirrubros passam longe de esperar uma partida tranquila.

Na visão do auxiliar-técnico do Náutico, Guilherme dos Anjos, o perigo de encarar o Brasil é justamente por conta do momento crítico dos gaúchos. “O adversário, neste momento da temporada, começa a jogar sem tanta responsabilidade. Infelizmente, o time deles está em uma circunstância complicada. Mas nunca foi fácil jogar em Pelotas. O Brasil sempre teve um mando de campo muito forte. Pode ser que o time jogue sem tanta responsabilidade. Isso pode ser um fator complicador. Cabe a nós facilitarmos esse jogo, com as nossas atitudes acima de tudo”, avaliou. O profissional, inclusive, comandará os pernambucanos, já que o treinador Hélio dos Anjos está suspenso após receber o terceiro cartão amarelo na rodada anterior, ante o Vasco.

Nono colocado da Série B, com 45 pontos, o Náutico está oito abaixo do Goiás, quarto, com 53. Para terminar a temporada no G4, alcançando o acesso à Série A, o Timbu sabe que precisará melhorar os números defensivos. Os pernambucanos possuem a terceira pior defesa da competição, com 39 gols sofridos – mesma quantidade, inclusive, do Brasil de Pelotas. A dupla só buscou menos bolas na rede do que Confiança (42) e Brusque (46).

“Realmente isso (gols sofridos) é algo que vem nos incomodando. Estamos trabalhando, principalmente em alguns aspectos táticos, específicos de algumas funções e tomadas de decisões. Nos incomoda muito em função de que, com essa mesma proposta de jogo, na maior parte do tempo em que nós estivemos à frente do Náutico, tivemos uma média de gols sofridos muito baixa. Chegamos a ter, dentro da temporada, abaixo de um por jogo. É algo que a gente bate muito na tecla e agora a gente está um pouco fora dessa linha”, ressaltou. Diante do Brasil, o Náutico terá o retorno do zagueiro Camutanga, que cumpriu suspensão automática.

Ficha técnica

Brasil/RS
Marcelo; Vidal, Arthur, Alan Dias e Kevin; Diego Gomes, Bruno Matias, Rildo e Renatinho; Netto e Erison. Técnico: Jerson Testoni

Náutico
Anderson; Hereda, Camutanga, Rafael Ribeiro e Júnior Tavares; Rhaldney, Matheus Jesus e Jean Carlos; Jailson, Vinícius e Caio Dantas. Técnico: Hélio dos Anjos

Local: Bento de Freitas (Pelotas/RS)
Horário: 21h30
Árbitro: Edina Alves Batista (SP). Assistentes: Neuza Ines Back (SP) e Leila Naiara Moreira da Cruz (DF)
Transmissão: Premiere FC