28 de julho de 2021

Márcia Conrado tem 70% de aprovação em Serra

Blog do Magno Martins

A avaliação dos seis primeiros meses de gestão da prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT), eleita com o apoio do ex-prefeito Luciano Duque (PT), é positiva. Segundo pesquisa do Instituto Opinião, a petista tem 57% de aprovação na soma dos índices bom (44%) com ótimo (13,3%). Entre os que julgam regular, o percentual é de 27,3%, enquanto os que desaprovam não chegam a 7% (3,8% de ruim e 2,3% de péssimo). Apenas 9,3% não souberam responder ou se recusaram.

Quando a pergunta se resume apenas ao aprova e desaprova, Márcia cresce ainda mais, chega a 70% contra 9,5% de desaprovação. Seus maiores percentuais de aprovação aparecem entre os eleitores jovens, na faixa de 16 a 24 anos (78,5%), entre os eleitores com grau de instrução superior (72,7%) e entre os eleitores com renda superior a dois salários mínimos (71,4%). Por sexo, 70,9% dos que aprovam são homens e 69,2% são mulheres.

Por áreas, na zona urbana seu maior percentual de aprovação é no bairro José Rufino Alves (80,9%) e na zona rural no distrito de Bernardo Vieira (70%). Na visão dos entrevistados, 18% acham a prefeita uma boa administradora, 13,5% julgam que o município está progredindo, 12,9% dizem que ela é trabalhadora, 12,1% acham ela uma boa pessoa, 11,1% entendem que ela ajuda a população e 5,4% estão satisfeitos com os investimentos que vêm sendo feitos, principalmente calçamento de ruas.

Entre os itens que a população julga mais urgentes para a gestão atacar de imediato estão a geração de emprego (26,3%), a melhoria da saúde (26%) e pavimentação de ruas (11,8%). Quanto à pandemia do coronavirus, 45,4% disseram que a prefeita vem fazendo um bom trabalho, 13,5% avaliaram como ótimo e 31,5% como regular, enquanto apenas 3% disseram que é ruim e 1,8% péssimo, enquanto 4,8% não souberam responder.

Para 67,5% dos entrevistados, Márcia Conrado é honesta ante apenas 1,5% que acham desonesta, enquanto 31% não souberam responder. Quanto às promessas de campanha, 68,2% disseram que a petista vem honrando e 6,8% disseram que não honra, enquanto 25% não responderam. Entre os entrevistados, 70,7% disseram que confiam na prefeita e 7,8% disseram que não confiam, enquanto 21,5% não responderam esse item.

O levantamento do Instituto Opinião foi a campo entre os dias 5, 6 e 7 deste mês, sendo aplicados 400 questionários. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares. O intervalo de confiança estimado é de 90,0% e a margem de erro máxima estimada é de 4,1 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

CENÁRIO POLITICO

O Instituto também fez um amplo levantamento do cenário político do momento em Serra Talhada com vistas às eleições de 2022, de presidente da República a deputado estadual. Para o Palácio do Planalto, o preferido é o ex-presidente Lula. Ele aparece com 63,8% das intenções de voto e Bolsonaro com 11,3%. Em seguida vêm Ciro Gomes (3%), Luciano Huck (2%), Mandetta (1%), Datena (0,5%) e João Dória (0,3%).

Na disputa para o Governo de Pernambuco, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB) aparece em primeiro lugar, com 19,8%, num cenário em que não é colocado o candidato do PT, que deve se aliar ao PSB. Em seguida, Miguel Coelho (MDB) pontua com 4,3% e José Múcio (3,3%). Os nomes do PSB, Geraldo Júlio e Zé Neto, aparecem com o mesmo percentual – 2,8% – e Anderson Ferreira (PL) é lembrado por apenas 0,8%. Brancos e nulos somam 27,2% e indecisos são 39%.

O Instituto quis saber ainda a opinião dos serra-talhadenses em relação ao PT apresentar candidato próprio desvinculado do PSB, com quem o partido deve se alinhar na disputa presidencial, com reprodução da aliança no Estado. Entre os dois nomes do partido – Marília Arraes e Humberto Costa – a preferência é por Marilia. Entre os entrevistados, 45,7% disseram que votariam em Marília e 15,8% em Humberto Costa, enquanto 38,5% se apresentam como indecisos.

Já para o Senado, o nome preferido é o do ex-senador Armando Monteiro Neto (PSDB). Se as eleições fossem hoje, o tucano teria 19,5% das intenções de voto. O segundo lugar aparece embolado entre Eduardo da Fonte (PP), que tem 4,5%, Fernando Bezerra (MDB), com 3,8%, Magno Martins (sem partido), com 3,5%, Silvio Costa Filho (Republicanos), com 1,5%, e André de Paula (PSD), com 1%. Brancos e nulos somam 28% e 38% disseram que estão indecisos.

Quanto à disputa para a Câmara dos Deputados, Sebastião Oliveira (Avante) lidera com 29,1%, seguido de Marília Arraes com 21%, Pastor Eurico (Patriota) tem 3,5%, Fernando Monteiro (PP) 3,3% e Carlos Veras (PT) 0,8%. Brancos e nulos somam 17,8% e indecisos estão na casa dos 24,5%.

Por fim, na corrida por uma vaga na Assembleia Legislativa, o preferido é o ex-prefeito Luciano Duque (PT), que aparece sem concorrente, com 49% das intenções de voto. Em segundo lugar, mas muito distante, Rodrigo Novaes (PSD) tem apenas 3,3%, Rogério Leão (Avante), 2,3%, e Fabrizio Ferraz (PP) 1,3%. Brancos e nulos somam 19,8% e indecisos 24,3%.