7 de março de 2021

Bruno Covas tem novo nódulo no fígado e inicia quimioterapia

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi submetido nesta quarta-feira (17) a novos exames de imagem que detectaram a presença de um novo nódulo no fígado. Com isso, o prefeito iniciou a quimioterapia nesta quarta, segundo boletim do hospital Sírio Libanês, onde ele faz o tratamento.

Covas foi internado no hospital na terça-feira (16), dentro da rotina de tratamento para exames de controle do câncer que ele enfrenta na região da cárdia, transição entre estômago e esôfago.

Segundo o hospital, apesar do novo nódulo detectado, o prefeito está “clinicamente bem disposto, alimentando-se bem e recuperando peso após período de radioterapia”.

“Os exames de imagem realizados nesta 4ª feira, 17/02, evidenciaram sucesso da radioterapia no controle dos linfonodos, próximos ao estômago. Foi detectado também o surgimento de um novo nódulo no fígado, cuja presença enseja ajuste no tratamento. A imunoterapia será interrompida e um novo protocolo de quimioterapia convencional terá início”, disse o boletim médico.

Nas redes sociais, Bruno Covas comentou o novo diagnóstico e disse que vai “enfrentá-lo como sempre: confiante”.

“Mais um desafio a ser superado. Vou enfrentá-lo como sempre: confiante, de cabeça erguida e grato pelo apoio e carinho de todos vocês”, afirmou.

 

Diferentemente das outras vezes que fez quimioterapia, Covas não deve despachar do hospital e ficará afastado da agenda do dia.

Segundo os médicos que cuidam do prefeito, inicialmente estão prescritas quatro novas sessões de 48 horas da quimioterapia, com intervalos de 14 dias entre cada uma. Ao final do processo, novos exames de imagem serão feitos para controle do novo ciclo.

“O prefeito iniciou a quimioterapia na tarde desta 4ª feira, 17/02, e deverá ficar internado até sábado”, informou o Sírio Libanês.

Covas está sendo acompanhado pelas equipes coordenadas pelos médicos David Uip, Roberto Kalil Filho, Artur Katz, Tulio Eduardo Flesch Pfiffer e João Luiz Fernandes da Silva (radioterapia).

Segundo o Dr. David Uip, o tumor detectado agora no fígado do prefeito de SP não passou por biópsia, mas o histórico da doença do prefeito foi determinante para o início da quimioterapia já iniciada nesta quarta.

Licença

Covas havia se licenciado no último dia 18 de janeiro, após a realização de sessões de radioterapia que fazem parte do tratamento do câncer que enfrenta. Ele retornou ao cargo em 1 de fevereiro. Durante o período, o vice Ricardo Nunes (MDB) assumiu a gestão da cidade pela primeira vez.

Após a realização de 24 sessões diárias de radioterapia para tratar o câncer diagnosticado na cárdia, transição entre estômago e esôfago, os médicos recomendaram o prefeito se licenciasse do cargo por dez dias para descansar.

De acordo com o boletim médico Hospital Sírio Libanês divulgado naquela data, após o período de repouso, a previsão é de que o prefeito continuasse com a imunoterapia e exames de controle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *