14 de agosto de 2020

PE libera esportes individuais em clubes e aulas práticas de cursos superiores a partir de segunda

A partir desta segunda-feira (13), as atividade esportivas individuais, à exceção de lutas, estão permitidas nos clubes sociais localizados em todo o Pernambuco. A liberação está no decreto publicado no Diário Oficial desse sábado (11). O decreto, de número 49.193, também autoriza a volta de aulas práticas e de estagio curricular relativos ao primeiro semestre de 2020 das instuições de ensino superior em Pernambuco. A medida vale também para as instituições de educação profissional e técnica, nos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) ou de qualificação profissional.

Apesar das liberações no campo educacional, a autorização não vale para cursos técnicos de nível médio, em instituições públicas e privadas, e para as demais atividades pedagógicas de instituições de ensino superior, que seguem suspensas até o dia 31 deste mês.

Prática esportiva
Essa volta das atividades esportivas deve seguir os protocolos sanitários estabelecidos no Plano de Convivência com a Covid-19 do Governo do Estado, como o distanciamento social e as medidas de higiene (lavagem das mãos e uso do álcool em gel a 70%). Os atletas só poderão tirar a máscara na hora do treino, devendo utilizá-la em todos os outros momentos. Aqueles que apresentarem sintomas gripais deverão guardar isolamento.

Além do protocolo sanitário geral do Estado, as modalidades também têm diretrizes específicas, elaboradas em parceria com a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) e com o apoio de federações esportivas. Entre as recomendações a serem seguidas, estão a desinfecção dos materiais e equipamentos de uso compartilhado após cada manuseio e a aferição de temperatura antes do acesso aos espaços/equipamentos esportivos. Afora isso, a orientação é para que mantenham em atividade ou treinamento remoto os atletas, paratletas e profissionais enquadrados no grupo de risco da Covid-19.

A liberação dos esportes individuais nos clubes sociais acontece uma semana depois de o Governo de Pernambuco ter permitido o retorno dos treinos de modalidades esportivas individuais em parques, praias e orlas marítimas ou fluviais. Àquela época, haviam também sido liberados para atletas de alto rendimento o parque aquático e a pista do de cooper do Parque Santos Dumont, localizado em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, e que é gerido pelo Governo do Estado.

Agreste
Também nesta segunda-feira, municípios do Agreste de Pernambuco avançam para a etapa 4 do Plano Fase 4 do Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19, com reabertura das lojas de varejo de rua, salões de beleza e estética, comércio de veículos – incluindo serviço de aluguel e vistoria -, com 50% da carga. Os shoppings também poderão abrir as portas, com horário de funcionamento das 11h às 19h ou 12h às 20h, e devem abrigar até 30% da capacidade do público. Já a construção civil poderá contar com 100% dos trabalhadores. Igrejas e templos religiosos também vão poder realizar celebrações. Tudo isso respeitando os protocolos para conter a disseminação do vírus.

Na região do Agreste, porém, não estará contemplado o Polo de Confecções do Agreste, liderado pelos municípios de Toritama, Santa Cruz do Capibaribe e Caruaru. “O Polo de Confecções está podendo trabalhar com delivery, com protocolos específicos. A gente vai acompanhar os dados da saúde e o comportamento da pandemia e, conforme o nosso plano, vamos ver os protocolos e o melhor momento para anunciar a retomada (do Polo)”, havia explicado, durante coletiva remota,  secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach.

A região havia freado o plano de reabertura dos setores devido a um aumento significativo no número de casos graves da Covid-19, com cresciemnto na demanda hospitalar. O cenário levou à determinação de quarentena mais rígida em Caruaru e Bezerros, cidades onde o cenário despertava mais preocupação, além de um alerta geral para os municípios adjacentes. Após os 10 dias de lockdown, o secretário estadual de Saúde, André Longo, disse, na última quinta-feira (9), ser possível identificar uma tendência de redução nos indicadores que servem como base para o Plano de Convivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *