oo

op

folhadopajeu

Estados pedem R$ 15 bilhões por mês a mais para enfrentar o coronavírus

Pedido foi feito ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Secretários de Fazenda tentam antever necessidade de recursos extra para o SUS e evitar ‘colapso sanitário e econômico’ do país.

O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz) solicitou ao governo federal o repasse de R$ 15,66 bilhões mensais para enfrentar a crise do novo coronavírus (Covid-19). O pedido foi feito por meio de ofício encaminhado ao Ministério da Economia.

Desse total, R$ 14 bilhões referem-se a perdas financeiras com a queda nas receitas e outros R$ 1,66 bilhão para o financiamento de “ações emergenciais de saúde nos Estados e no Distrito Federal”.

O primeiro aporte tenta compensar as perdas decorrentes da desaceleração da economia e, de acordo com o pedido, deve ser feito enquanto durar a crise do coronavírus. Já o repasse mensal de R$ 1,66 bilhão foi solicitado por três meses.

No ofício, o Comsefaz informa que os entes federativos têm suas receitas “fortemente dependentes da economia real”, e que elas já começaram a sentir os efeitos da crise do coronavírus na economia – com redução da demanda e queda na arrecadação tributária.

Segundo os estados, considerando uma estimativa de queda de cerca de 20% na arrecadação de ICMS, Fundo de Participação dos Estados, royalties e participações especiais, a perda de receitas nos Estados atinge o montante de R$ 14 bilhões por mês.

A solicitação de R$ 1,66 bilhão por mês deve ser aplicada nos diferentes entes federados, “levando-se em conta o critério populacional”.

O Comsefaz reúne os secretários de Fazenda dos estados e informa que os governos estaduais e municipais estão alinhados ao Ministério da Saúde e ao Governo Federal “em todos os esforços e desafios que ora se impõem aos gestores públicos para enfrentamento conjunto desta grave situação emergencial, reconhecida na solicitação do Executivo para que seja declarada situação de calamidade pública nacional”.

O documento, enviado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, avalia ainda que o país está diante de um quadro de “consequências graves para a saúde da população brasileira em curtíssimo espaço de tempo”.

“Isso nos torna a todos solidários no enfrentamento do problema e nos resultados que possam advir”, acrescentam os secretários de Fazenda.

Para o Comsefaz e o para o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), em qualquer cenário que se desenhe, “haverá um forte impacto de ampliação abrupta de custos sobre o sistema de saúde brasileiro, que, de resto, já sofre de problemas relacionados ao insuficiente custeio de suas ações regulares”.

Segundo os estados, são necessários, no momento, recursos não somente a questão do financiamento para a instalação e funcionamento de mais leitos hospitalares, em regime de cuidados intensivos e de isolamento, mas também a necessidade de custear pessoal, logística e estruturas, além da ampliação de serviços ambulatoriais, dentre outros.

O objetivo é “fazer frente a um cenário de epidemia já instalada e que irá se agravar rapidamente, segundo o padrão de comportamento da doença até então observado no mundo ocidental”.

“É essencial antever estas necessidades e prover a gestão do SUS de recursos adicionais de forma tempestiva, sob pena de assistirmos ao colapso sanitário e econômico da Nação”, concluem os secretários de Fazenda estaduais no documento.

Prefeitura de Petrolina reforça cuidados contra transmissão do novo coronavírus

A Prefeitura de Petrolina está reforçando com a comunidade os cuidados para prevenir o novo coronavírus (Covid-19), além de ampliar as ações do Plano Municipal de Contingenciamento. Com centenas de profissionais treinados para atender ao público, a Secretaria de Saúde salienta quais são os cuidados básicos de prevenção que a população deve adotar e as ações da atual administração em relação aos casos suspeitos da doença.

O mais importante que precisamos ressaltar são os cuidados que todos devem tomar. São ações simples de higiene, como lavar frequentemente as mãos, proteger a boca com um pano ou o antebraço sempre que tossir ou espirrar e evitar grandes conglomerados. Vale lembrar que essas atitudes não são apenas para o coronavírus, mas para qualquer vírus respiratório. A prevenção continua sendo o melhor caminho”, explica a secretária de Saúde, Magnilde Albuquerque.

Desde o início dos primeiros casos no país, a Prefeitura de Petrolina vem realizando ações e dialogando com diversos setores. Dessa forma, foi definido o Plano de Contingência com o fluxo de atendimento, a assistência correta aos pacientes, monitoramento dos casos suspeitos e a segurança dos profissionais da saúde durante o manejo clínico.

Diante desse cenário, a gestão municipal também orienta que, além de evitar pânico, as pessoas também precisam evitar aglomerações nas unidades de saúde e só procurar atendimento quando necessário. “Não procurem atendimento se for uma demanda não grave e não saiam de casa caso tenham sintomas respiratórios leves. Para quem estiver de quarentena, respeitem! Caso identifique alguém que não está cumprindo a quarentena, denuncie. O número da Vigilância em Saúde é (87) 3866-8567“, destaca a gestora da pasta.

Sintomas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que os sintomas mais comuns do novo coronavírus são: febre, tosse e dificuldade de respirar. De acordo com a entidade, alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, coriza e dor de garganta. Esses sintomas, geralmente, são leves e evoluem gradualmente.

Se sentir esses sintomas, ligue para a Vigilância em Saúde. Nos finais de semana, feriados e durante a semana após as 17h o paciente deve procurar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Durante a semana procurar uma Unidade Básica de Saúde. Quem tiver plano de saúde deve buscar o atendimento no hospital conveniado. Ainda tem outro contato da Vigilância em Saúde para o plantão dos finais de semana (87) 98841-0800. Pacientes que apresentarem complicações respiratórias devem procurar a UPA. Destacamos que estes pacientes não devem ser encaminhados para o Hospital Universitário (HU)”, finaliza a secretária de Saúde.

Afogados: Secretaria de Educação divulga normativa para atendimento ao público

Considerando as diversas normativas anunciadas pelo Ministério da Saúde, Governo de Pernambuco, e pelo Decreto Municipal 005/2020, divulgado ontem, a Secretaria de Educação de Afogados da Ingazeira informa que, além das aulas na rede pública de ensino, também estão suspensas o atendimento na biblioteca pública municipal e as atividades da Escola de música Bernardo Delvanir Ferreira.

Todos os profissionais de educação vinculados à rede municipal de educação trabalharão em regime de revezamento, no período de 8h às 13h, de forma que os serviços essenciais sejam mantidos.

O horário de cada servidor deverá ser estipulado pelo gestor de cada uma das unidades escolares. O horário de funcionamento da Secretaria Municipal de Educação e do Centro Tecnológico Municipal será de 7h30 às 13h30.

Desde ontem, todos os servidores da educação na faixa etária a partir de 60 anos, e aqueles portadores de doenças crônicas, serão dispensados, temporariamente de suas funções presenciais, devendo trabalhar em casa (home-office), colaborando com as atividades sempre que solicitado, mantendo-se em casa, até nova orientação.

A Secretaria de Educação informa ainda que servidores em funções gratificadas, seja na própria secretaria e em outras instituições, deverão ficar sob aviso para eventuais convocações, sejam elas presenciais, quando possível, ou por meio de videoconferência. Veratânia Moraes, Secretaria Municipal de Educação, afirmou que foram disponibilizados álcool em gel (70%) para os servidores que atuarão nesse período de grave crise.

Nesse momento de grave e geral aflição, a solidariedade se expressa através da colaboração de todos, e é de suma importância para enfrentarmos juntos esta situação.

 

Fonte: Blog do Nill Júnior

Miguel recebe lideranças religiosas para discutir medidas preventivas ao coronavírus nos templos

Representantes de diversas denominações religiosas estiveram nesta terça (17) na Prefeitura de Petrolina para discutir ações conjuntas de enfrentamento à Covid-19. As lideranças foram recebidas pelo prefeito Miguel Coelho, que detalhou o plano de contingenciamento e o decreto com várias medidas preventivas à transmissão do coronavírus no Sertão.
Na conversa, o gestor pediu apoio das igrejas, adotando iniciativas desde a redução de celebrações religiosas até diminuição do público nos templos para um volume inferior a 100 ou 50 pessoas. Miguel também recomendou reforço na higienização dos templos de fé e engajamento dos líderes para conscientização dos fiéis acerca do desafio de lidar com o coronavírus.
Os pastores demonstraram apoio às medidas e chegaram a um consenso de que é necessário prudência e prevenção para impedir ou atenuar a transmissão do novo vírus. “Foi uma reunião excelente que mostrou todo o compromisso dos representantes de diversas igrejas. Como líderes de comunidades cristãs, eles sabem da importância de preservar vidas e unir as pessoas em torno dessa missão. E, como cristão, sei também da necessidade de garantir o direito ao culto e de os fiéis ouvirem uma palavra de conforto e fé. O essencial é que estamos unidos para superar esse momento de provação”, declarou o prefeito após o encontro.
Veja algumas das medidas que serão adotadas em templos religiosos para enfrentar o coronavírus:
Redução da aglomeração de fiéis em celebrações religiosas
Suspensão de eventos como shows de música gospel para evitar aglomeração
Diminuição de cultos ou divisão em horários especiais para reduzir o público nos templos
Realização de cultos com transmissão via redes sociais
Campanhas educativas com apoio das lideranças religiosas sobre o coronavírus
Criação de um comitê formado por religiosos para discutir junto à prefeitura novas medidas de enfrentamento ao vírus da Covid-19
Maior higienização nos templos religiosos como forma de prevenção 
 

Mais chuva no sertão do Pajeú

Centro Comercial de Serra Talhada começa a ser invadido pelas águas da chuva.

Cidades do Sertão do Pajeú continuam registrando chuvas. Em Afogados da Ingazeira foram 10mm ontem à tarde e mais 40mm na madrugada de hoje – tem chuva registrada ainda em cidades como Tabira, Ingazeira e Iguaracy.

Alça de Peia de Afogados foram 90mm e já tem casas sendo invadidas pela água. Na PE-320 a água invadiu a pista na altura da bueira da Carnaubinha. Na Carnaubinha dois açudes e mais o açude de Carnauba estão sangrando e obstruindo o trânsito.

Serra Talhada – Na Capital do Xaxado a preocupação é com as partes mais baixas da cidade. O prefeito Luciano Duque já demonstrava preocupação durante o dia de ontem e criou um gabinete para monitorar chuvas e alagamentos.

Segundo informações recebidas na manhã desta quarta-feira (18), a água já invadiu o Pátio da Feira e começa a alagar partes da Rua Enock Ignácio de Oliveira – Centro comercial da cidade.

A prefeitura começou ontem uma operação para a retirada dos produtos e mercadorias dos comerciantes do Pátio da Feira Livre e encaminhando para o Ginásio esportivo Egídio Torres. Segundo a municipalidade, o local terá a vigilância da Guarda Municipal. A força tarefa tem as Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Serviços Públicos, encabeçada por Marcos Oliveira, Defesa Civil e Guarda Municipal.

 

Fonte: Blog do Nill Júnior

Ministro Augusto Heleno diz que seu exame deu positivo para coronavírus

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional afirmou que aguarda a contraprova. Heleno disse que não tem febre nem apresenta sintomas e que vai ficar em casa.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Augusto Heleno, informou nesta quarta-feira (18) que testou positivo para o novo coronavírus. O ministro aguarda contraprova.

“Informo que o resultado do meu segundo exame, realizado no HFA, acusou positivo. Aguardo a contraprova da FioCruz. Estou sem febre e não apresento qualquer dos sintomas relacionados ao Covid-19. Estou isolado, em casa, e não atenderei telefonemas”, publicou Heleno em uma rede social.

Heleno integrou a comitiva do presidente Jair Bolsonaro na viagem à Flórida (EUA), na semana passada. Ele fez um primeiro teste, com resultado negativo, e realizou um novo exame na terça-feira (17).

Heleno, outros ministros e o presidente Jair Bolsonaro fizeram dois testes para identificar o novo coronavírus depois da confirmação de que o secretário de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten, está com o vírus.

Wajngarten integrou a comitiva na viagem aos EUA. Bolsonaro fez dois testes até o momento e, segundo ele, ambos deram resultado negativo. Com Heleno, chega a 16 o número de pessoas que estiveram na viagem do presidente e contraíram coronavírus.

O segundo teste de Heleno, feito no departamento médico do Palácio do Planalto, deu positivo. Após fazer o teste, Heleno conversou com jornalistas e disse que se sentia bem, porém não era algo “absolutamente tranquilizadora” a situação.

“Tudo bem, mas é o tal negócio, não é uma coisa absolutamente tranquilizadora você estar muito bem. Já houve gente que foi diagnosticada, porque isso depende muito da reação do seu organismo, às vezes seu organismo resiste a esse tipo de vírus sem ter grandes problemas. Tem gente que vai para cama, tem febre, não sei o que”, disse.

Heleno tem 72 anos de idade, ou seja, está nos grupos considerados mais suscetíveis ao Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

Ele esteve, conforme a agenda oficial de Bolsonaro, em ao menos três audiências com o presidente na terça-feira (17). Heleno teve uma reunião a sós com Bolsonaro e participou de outras duas junto com outros ministros.

O ministro Fernando Azevedo e Silva, da Defesa, afirmou nesta terça que seu exame para coronavírus deu negativo.

Fonte: G1

Por coronavírus, universidades e IFs suspendem atividades até o fim de março

Seis instituições públicas de ensino superior de Pernambuco – UFPE, UFRPE, IFPE, UPE, Ufape, IF-Sertão e Univasf -, além da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), anunciaram neste domingo (15) que vão paralisar as atividades a partir desta segunda-feira (16). A medida vale até o fim de março e afeta todos os campi espalhados pelo Estado. A decisão foi tomada como medida de prevenção e contenção do novo coronavírus no Estado.

A paralisação foi decidida em reunião realizada na reitoria da Universidade de Pernambuco (UPE), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Participaram do encontro reitores das cinco instituições do grupo Universitas (UFPE, UFRPE, Univasf, Unicap e UPE), além de representantes dos institutos federais de Pernambuco (IFPE) e Sertão e da Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape). Também estiveram presentes o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, e a secretária executiva da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Ricarda Bezerra.

A decisão foi tomada a partir de uma votação, em que cada gestor declarou se concordava em parar as atividades, a partir de que dia e por quanto tempo. Ao fim da discussão, ficou decidido que as aulas serão suspensas a partir desta segunda-feira (16) nas sete instituições. O prazo de retomar as atividades no dia 31 de março também poderá ser revisto nesse período, dependendo do grau de avanço do vírus nas próximas semanas.

“Estamos tirando as pessoas de circulação para que o Estado possa atender quem precisa de tratamento, dando um exemplo de bom senso”, afirmou a reitora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Maria José de Sena. A reposição das aulas que deixarão de ser realizadas será organizada separadamente por cada instituição.

Miguel Coelho anuncia novo protocolo de medidas para enfrentamento ao coronavírus em Petrolina

Contratação de novos profissionais de saúde, cancelamento de eventos com grande público e quarentena para pessoas oriundas de países estrangeiros.  Essas são algumas das ações anunciadas pelo prefeito Miguel Coelho, neste sábado (14), diante do crescimento de casos do novo coronavírus no Brasil. As medidas serão publicadas em decreto municipal que vigora a partir deste domingo (15).

Apesar de até o momento não haver nenhum caso suspeito em Petrolina, o município adota, desde fevereiro, um plano de contingenciamento coordenado pela Secretaria de Saúde. Mais de 300 profissionais do município já foram treinados para lidar com pacientes com o novo vírus e medidas preventivas já vinham sendo tomadas. Com o decreto, a cidade sertaneja passa a adotar ações mais restritivas e reforça o monitoramento.

A primeira iniciativa determinada pelo prefeito foi a criação de um comitê de enfrentamento com entes de várias secretarias e setores envolvidos na questão do coronavírus. Miguel também determinou a contratação de uma equipe de médicos, enfermeiros e outros profissionais destinada a casos do coronavírus. A Prefeitura ainda fechou um convênio com o Hospital Universitário para a criação de leitos de UTI exclusivos para pacientes diagnosticados com o Covid-19.

O novo protocolo de Petrolina é baseado em recomendações do Ministério da Saúde para municípios sem nenhuma ocorrência confirmada. As medidas foram decididas em função da mudança de patamar da transmissão no Brasil. Por Petrolina ser uma cidade dotada de aeroporto e com intenso fluxo de pessoas de várias partes do mundo, a equipe da Secretaria de Saúde decidiu alterar o plano de contingenciamento e adotar ações restritivas.

Uma das medidas de restrição com caráter preventivo será a proibição de qualquer evento cultural, esportivo, político, administrativo, religioso com mais de 100 pessoas na cidade de Petrolina. Congressos, shows de artistas, torneios de futebol, inaugurações, eventos religiosos com grande público, que dependam de autorização da prefeitura, portanto, serão adiados. A gestão municipal ainda recomendará a empresas, faculdades e outras instituições a adotarem o mesmo padrão.

Outra medida estratégica do novo protocolo é a determinação de quarentena de sete dias para qualquer pessoa oriunda de países estrangeiros. Dessa forma, esse público terá de notificar a Secretaria de Saúde e permanecer em um local fixo pelo período estipulado, evitando contato externo até o fim da quarentena.

Na coletiva de imprensa, Miguel Coelho ressaltou que as medidas têm caráter preventivo, mas não podem ser encaradas com alarde pela população. O prefeito adiantou que uma ampla campanha de orientação ao público será desenvolvida com medidas educativas e preventivas sobre o Covid-19. “Nenhum caso de coronavírus foi confirmado em Petrolina. Portanto, não existe motivo para pânico. A alteração em nosso protocolo ocorreu em razão da elevação do patamar na transmissão no Brasil, tendo como prioridade então a prevenção. Tudo vem sendo feito em Petrolina com antecedência, de maneira preventiva e seguindo determinações dos especialistas do Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde”, explica o prefeito sertanejo.

Confira as medidas do novo protocolo de enfrentamento ao coronavírus para Petrolina:

Criação do comitê de enfrentamento ao coronavírus

Contratação de profissionais de saúde para atendimento a casos suspeitos ou a pacientes com Covid-19

Convênio com o Hospital Universitário para criação de uma unidade exclusiva com leitos de UTI para pacientes com coronavírus

Restrição de eventos com mais de 100 pessoas cuja autorização dependa da prefeitura

Recomendação para outras instituições como universidades, faculdades e empresas adiarem eventos com público superior a 100 pessoas

Cancelamento de inaugurações, atos públicos e eventos do município

Quarentena de sete dias em um local fixo para pessoas oriundas de países estrangeiros. A medida é válida também a brasileiros que estiveram fora do País nas últimas semanas

Realização de campanhas educativas para orientação à população sobre medidas de prevenção ao coronavírus

Proibição de viagens de servidores municipais para fora do País e cidades onde já há transmissão comunitária, a exemplo de São Paulo e Rio de Janeiro

Suspensão de férias dos servidores municipais de saúde

Restrição de atendimento ao público nos prédios da Prefeitura de Petrolina, secretarias municipais e autarquias. Atendimentos essenciais serão liberados a critério de cada serviço municipal

Acordo com o Exército para criação de um hospital de campanha em Petrolina apenas numa situação de emergência, caso a transmissão do vírus se torne comunitária na região

Preço do petróleo cai 5,64% e atinge o menor valor desde 2004

O barril de petróleo do tipo Brent começou a segunda-feira (16) com uma forte tendência de queda. O preço caiu 5,64%, a menos que o fechamento da sexta-feira (13), sendo vendido a US$ 31,86, o menor preço desde março de 2004.

O Brent para entrega em maio estava sendo negociado a US$ 32,05, mas depois caiu novamente devido às contínuas preocupações do mercado sobre a propagação da Covid-19, o novo coronavírus.

O petróleo do mar do Norte, referência na Europa, sofreu quedas acentuadas nas últimas semanas devido aos receios dos investidores de uma forte diminuição da procura por conta das restrições de circulação, voos e atividades produtivas e de negócios como resultado da pandemia do coronavírus e da guerra de preços iniciada pela Arábia Saudita.

Na semana passada, os preços do petróleo despencaram com a decisão saudita, maior produtor mundial de petróleo, de baixar o preço de suas exportações, além dos efeitos do novo coronavírus.

*Com informações da EFE.

Prefeitura acelera obras da Ciclovia do Jatobá que chegam à fase final

Uma boa notícia para os ciclistas que estavam no aguardo da malha cicloviária do bairro Jatobá: os dias de espera estão contados. Aqueles que optam pela bike como meio de transporte ou para realizar exercícios agora vão poder transitar com maior segurança e tranquilidade. Isso porque a obra, que teve um investimento de cerca de R$ 800 mil, está em fase de finalização e recebe agora os últimos retoques para ser inaugurada.

Com a pintura e a sinalização já finalizadas, a nova pista deve estar pronta para ser trafegada pelos ciclistas até o final do mês. A ciclovia, que liga a Avenida Cardoso de Sá (do posto L3) à Estrada do Jatobá (depois do restaurante ‘Barcarola’), se estende por cerca de 2 quilômetros e contará ainda com iluminação em LED.

No município, entre ciclofaixas e ciclovias, já são 15 km de pista entregues: Ciclovia das Pedrinhas (Henrique Leite); Ciclovia da Orla; Ciclovia do Batalhão (Vila Eduardo); Ciclofaixa da Integração e, logo em breve, a Ciclovia do Jatobá passa a compor o conjunto.

Segundo o secretário de Mobilidade, Infraestrutura e Serviços Públicos, Fred Machado, até o final do ano, estão previstos mais 9km de novas pistas para ciclistas. “Nosso objetivo é formar um grande anel cicloviário por toda Petrolina e para isso estamos com várias obras em andamento. Desta maneira, a Prefeitura de Petrolina irá proporcionar uma mobilidade mais segura para toda população”, destaca o gestor.

Brasil tem 98 casos de coronavírus e transmissão comunitária nas cidades do Rio e de SP, diz ministério

Transmissão comunitária é aquela que ocorre nos casos em que não é possível identificar a trajetória de infecção do vírus. Há casos em 13 estados e 12 pacientes estão hospitalizados.

O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira (13) novo balanço dos casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil: são 98 casos. Além disso, o balanço tem os seguintes destaques:

O Ministério da Saúde informou ainda que há casos de transmissão comunitária nas cidades de São Paulo (capital) e do Rio de Janeiro (capital). De acordo com a pasta, os casos de transmissão comunitária são aqueles em que não é possível identificar a trajetória de infecção do vírus.

Até então, o governo federal só tinha registro de casos de transmissão local, que é aquele que ocorre quando pessoas que viajaram ao exterior e foram infectadas passam o vírus para parentes e contatos próximos, possibilitando que os agentes localizem a origem da infecção.

O secretário de vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, disse que hoje no Brasil há 15 casos de transmissão local (14 em SP e um na Bahia) e quatro casos de transmissão comunitária (dois no Rio e dois em SP).

Ainda de acordo com o ministério, a maioria dos pacientes (49%) tem menos de 40 anos, outros 15% estão com mais de 60 anos e, portanto, fazem parte do grupo de risco. Ao todo, 12 pacientes estão hospitalizados.

Suspensão de eventos

Nesta sexta, o governo detalhou para os estados suas recomendações para medidas “não farmacológicas”, que são aquelas focadas na redução do contato social. Cada governador e prefeito deve adaptar as recomendações a suas realidades locais. Nesta tarde, Rio de Janeiro e São Paulo anunciaram restrições a atividades públicas.

Casos de Coronavírus não contabilizados

Nem todos os casos anunciados pelas secretarias estaduais então contabilizados pelo Ministério da Saúde. Com os casos ainda não registrados oficialmente, Brasil tem ao menos 157 casos confirmados de Covid-19.

O balanço oficial ainda não considera:

  • Quatro novos casos confirmados na Bahia;
  • O primeiro caso registrado no Amazonas, nesta sexta;
  • O segundo caso no Espírito Santo;
  • O terceiro caso em Santa Catarina;
  • Mais 14 casos São Paulo;
  • Um terceiro caso confirmado no Distrito Federal

7 dias de isolamento pós-viagem

Ainda nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde recomendou que viajantes internacionais que cheguem ao Brasil fiquem em isolamento domiciliar por 7 dias, mesmo que não tenham sintomas de Covid-19.

As pessoas com sintomas devem ficar em isolamento domiciliar por até 14 dias. Na quinta-feira (12), a pasta anunciou que pessoas que tiverem contato com infectados pelo vírus também devem ser colocadas em isolamento, conforme recomendação médica.

TCU aceita pedido de Guedes e barra aumento do BCP

O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu, nesta sexta-feira (13), a ampliação do BPC, o Benefício de Prestação Continuada, pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.

A decisão, que tem caráter provisório, foi tomada pelo ministro Bruno Dantas, que atendeu a um pedido feito pelo Ministério da Economia.

Na quarta-feira (11), o Congresso derrubou um veto do presidente Jair Bolsonaro e ampliou o alcance do benefício. O critério de renda passou de um quarto de salário mínimo por membro da família para meio salário.

A medida teria impacto de 20 bilhões no orçamento da União deste ano. Em dez anos, o valor chegaria a casa dos 217 bilhões de reais.

Agora, o governo tem amparo legal para não cumprir a mudança na lei, sem que seja indicada uma fonte para compensar a despesa adicional.

A decisão do ministro Bruno Dantas deve ser ratificada pelo plenário do Tribunal na próxima semana.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni/Jovem Pan News

Carnaval das Caretas 2019