oo

op

Daily Archives: 15 de maio de 2020

Teich deixa o Ministério da Saúde antes de completar um mês no cargo e após divergir de Bolsonaro

 

O ministro da Saúde, Nelson Teich, deixou o cargo nesta sexta-feira (15), antes de completar um mês à frente da pasta. Apesar de uma nota oficial do ministério dizer que ele pediu demissão, assessores da Saúde afirmaram que o médico foi demitido.

Mais tarde, em pronunciamento, Teich declarou: “A vida é feita de escolhas. E hoje eu escolhi sair”. Ele não explicou, no entanto, por que tomou a decisão.

Nelson Teich tomou posse em 17 de abril. Essa é a segunda saída de um ministro da Saúde em meio à pandemia do coronavírus. Teich havia substituído Luiz Henrique Mandetta.

Assim como Mandetta, Teich teve discordâncias com o presidente Jair Bolsonaro sobre as medidas para combate à Covid-19, doença causada pelo coronavírus.

Nos últimos dias, o presidente e Teich tiveram desentendimentos sobre:

  • o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19. Bolsonaro quer alterar o protocolo do SUS e permitir a aplicação do remédio desde o início do tratamento;
  • o decreto de Bolsonaro que ampliou as atividades essenciais no período da pandemia e incluiu salões de beleza, barbearia e academias de ginástica;
  • e detalhes do plano com diretrizes para a saída do isolamento. O presidente defende uma flexibilização mais imediata e mais ampla.

Na manhã desta sexta, Teich foi ao Palácio do Planalto para uma reunião com Bolsonaro. Em seguida, ele voltou para o prédio do Ministério da Saúde. A demissão foi anunciada logo depois.

 

Governo de Pernambuco antecipa recesso escolar da rede estadual

O recesso da Rede Estadual de ensino foi antecipado para a segunda quinzena de maio e ocorrerá entre os dias 16 e 29 deste mês, conforme anunciado na tarde desta quinta-feira (14) pela Secretaria Estadual de Educação e Esportes por meio de uma rede social. A suspensão da produção e distribuição de novas aulas já começa nesta sexta-feira (15), e o retorno da volta das atividades remotas, com novos conteúdos, será no dia 1º de junho. Esse recesso coincide com o período de isolamento mais rígido nos municípios de Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata e tem o objetivo de reduzir os impactos causados pela ausência das aulas presenciais, tanto para os alunos quanto para os professores, além de tentar otimizar o calendário letivo deste ano.

De acordo com Fred Amancio, o secretário da pasta, a quantidade de horas e dias letivos previstos para o ano escolar de 2020 já está bem prejudicada. “Estamos trabalhando com um cenário, ainda incerto, de retomarmos as atividades presenciais no mês de julho. A gente sabe que esse retorno, caso aconteça, será por etapas e não de forma integral, por isso precisamos de um calendário definido para que seja possível cumprir com o que resta e também repor o que ficou faltando”, afirmou o secretário. “A antecipação do recesso vai coincidir com a quarentena nos cinco municípios de forma estratégica. Além disso, quando o retorno acontecer, teremos a chance de dar continuidade, uma sequência às atividades letivas, sem precisar parar novamente”, explicou Amancio.

Durante o recesso, ficam suspensas a produção e divulgação de novas as aulas remotas, que estavam sendo transmitidas pela televisão, através do canal da TV Pernambuco, para os alunos do Ensino Médio; e através da plataforma Educa-PE, para os alunos do Ensino Fundamental II, do 6º ao 9º ano. Além de novos conteúdos, ficam suspensas também demais atividades não presenciais. “Algumas escolas da rede pública montaram um plano próprio, com um projeto específico de aulas e divulgação. Essas atividades também estão suspensas durante o recesso”, ressaltou Fred.

A recomendação do governo é que os estudantes possam revisar os conteúdos que já foram ministrados desde que houve a retomada das aulas remotas, no início de abril. “As tvs parceiras que transmitem as nossas aulas já estão com o cronograma de reprise pronto. E todo o conteúdo e material de apoio que já foram passados pelos professores também está disponível nas plataformas que vêm sendo utilizadas”, disse o gestor.

Rede privada
Já a rede privada permanece com as aulas remotas, que foram retomadas no dia 4 de maio, após o fim das férias, que foram antecipadas para o mês de abril. No entanto, com o isolamento rígido que passa a valer a partir de amanhã, o Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro-PE) recomenda que os professores possam ministrar essas aulas de casa. “O que tem sido levantado nos sindicatos e acordado com os professores é que essas aulas sejam dadas, preferencialmente, de casa”, afirmou Wallace Barbosa, secretário de Comunicação do Sinpro. Segundo ele, alguns professores ainda estavam ministrando as aulas das escolas, por não terem em casa o material necessário para dar a aula remota.

 

Fonte: Folhape

Sem remédio ou vacina, Brasil deve apostar no isolamento para conter coronavírus, diz Fernando Filho

 

O deputado federal Fernando Filho (DEM-PE) fez um alerta nesta quinta-feira (14) para a importância do isolamento social como medida para conter o avanço do coronavírus no Brasil. Ele avaliou que os meses de maio e junho serão difíceis, com o aumento do número de casos de Covid-19 no país, e alertou que o pico da curva de contágio ainda não foi atingido.

“Os números têm crescido muito rapidamente, e temos que aguardar para saber quando será o pico da curva e quando o contágio começa a regredir. O fato é que ninguém sabe como isso vai se comportar. Por isso, reforço a necessidade de isolamento. Quem tiver que sair, tome todos os cuidados, como o uso de máscaras e medidas de higienização”, afirmou Fernando Filho durante live com lideranças do município de Betânia, no Sertão do Moxotó.

Para o deputado, não há “receita” para o enfrentamento do coronavírus, o que explicaria a falta de alinhamento entre o governo federal e os estados no combate à pandemia.

“O que estamos vivendo é algo que ninguém sabe como vai se comportar ou qual é a melhor resposta. Há países que acharam melhor não adotar o isolamento e depois voltaram atrás. Outros fizeram, mas com um impacto muito grande na atividade econômica. Existe hoje uma politização exacerbada nos mais diversos estados e essa vontade de querer acertar. O fato é que temos que minimizar o número de vidas perdidas e, na ausência de um remédio ou de uma vacina, a gente tem que apostar no isolamento social”, defendeu Fernando Filho.

Ele destacou ainda as medidas aprovadas pelo Congresso Nacional para aumentar a proteção social das pessoas em situação vulnerável, como o auxílio emergencial de R$ 600,00, e para socorrer estados e municípios, que já registram forte queda da arrecadação de impostos.

“A queda de arrecadação do governo federal no mês de abril foi de 30% e deve ser do mesmo tamanho ou maior em alguns estados e municípios. Essa medida que aprovamos visa auxiliar estados e municípios, para que possam ter condições de enfrentar o coronavírus, mas também manter seus compromissos em dia.”

 

Fonte: Folhape

Alepe aprova a apreensão de veículos que descumprirem regras da quarentena

Foi aprovado na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), por ampla maioria, nesta quinta-feira (14), o projeto que impõe punição para quem desrespeitar o sistema de rodízio de veículos em Pernambuco. A matéria, que recebeu oito votos contrários, agora segue para a sanção do governador Paulo Câmara (PSB).

O controle da circulação de carros começa a valer no próximo sábado em cinco municípios da Região Metropolitana. Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata foram incluídos na quarentena, que vai até o dia 31 de maio.

Votaram contra o projeto os deputados Alberto Feitosa (PSC), Alvaro Porto (PTB), Antonio Coelho (DEM), Clarissa Tércio (PSC), Joel da Harpa (PP), Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), Romero Sales Filho (PTB) e Wanderson Florêncio (PSC).

 

Fonte: Folhape

Relatório da PF sobre facada em Bolsonaro diz que apuração não pode se basear em opinião pública ou leigos

No relatório do inquérito que descartou pela segunda vez a existência de mandante no caso da facada em Jair Bolsonaro, a Polícia Federal afirmou que suas investigações não podem se basear na opinião pública ou se guiar por dúvidas de leigos.

O documento, obtido pela reportagem, desconstrói teorias da conspiração criadas sobre a tentativa de assassinato cometida por Adélio Bispo de Oliveira contra o então candidato a presidente, em 2018. Bolsonaro tem insistido na tese de que o autor agiu a mando de terceiros, o que a PF refutou.

“As dúvidas provenientes dos leigos são plenamente aceitáveis, contudo, a investigação não pode ser pautada pela opinião pública, sob pena de ser marcada pela falta de rigor técnico”, escreveu o delegado da PF Rodrigo Morais no relatório, entregue ao Ministério Público Federal nesta quarta-feira (13).

“Em se tratando de uma investigação policial, o senso comum deve ser substituído por uma pesquisa sublinhada pela precisão metodológica”, afirmou o responsável pelo inquérito, o segundo aberto pela corporação sobre o caso. Ambos mostraram que Adélio, que foi declarado inimputável, agiu sozinho.

De acordo com o documento, o inquérito tem nove volumes e 1.908 folhas. As conclusões foram apresentadas em um relatório classificado por Morais como parcial, já que a PF foi impossibilitada de averiguar um último ponto considerado importante: o celular e outros materiais apreendidos com os advogados que assumiram a defesa do autor logo após o crime.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a perícia nos conteúdos depende de julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal), que ainda não começou a analisar o tema. Em meio às pressões de Bolsonaro, que vem colocando em xeque o trabalho da PF, os investigadores divulgaram os resultados obtidos até agora.

O Supremo terá que se pronunciar sobre a eventual violação de sigilo profissional de advogados, garantida pela Constituição. Se a corte der aval à perícia, uma nova frente de investigação se abrirá.

O escrutínio dos aparelhos apreendidos no escritório de Zanone de Oliveira Júnior poderia revelar eventuais conexões com financiadores e mentores do plano, o que o advogado nega. A PF trabalha com a possibilidade de reabrir a investigação no futuro caso o STF autorize o pente-fino nos materiais.

No último dia 28, o presidente disse que a facada foi negligenciada pela PF e defendeu que a investigação fosse reaberta –àquela altura, contudo, a apuração finalizada nesta semana ainda estava em andamento.

Bolsonaro afirmou na ocasião não possuir provas do envolvimento de terceiros, mas disse ter “sentimentos, sugestão para dar para a Polícia Federal”. A defesa dele não recorreu da decisão judicial que absolveu Adélio e determinou que cumpra medida de segurança. O autor está preso desde o crime.

No documento, o delegado Morais afirma que até os advogados da vítima reconhecem que a análise do conteúdo do celular é a única diligência pendente. O relatório apresentado nesta quinta-feira (14) à direção-geral da corporação e ao novo ministro da Justiça, André Mendonça, detalha como os agentes, com base em dados fiscais, bancários e telefônicos, imagens e depoimentos, afastaram a participação de terceiros e a ajuda de comparsas.

A PF afirma que a investigação foi “marcada ininterruptamente pelo rigor técnico” e que, “ainda que a maioria das pessoas acredite na existência de suporte logístico” a Adélio “ou no envolvimento de grupos criminosos especializados, até o presente momento nada de concreto” surgiu sobre essas hipóteses.

A “participação de agremiações partidárias, facções criminosas, grupos terroristas ou mesmo paramilitares em qualquer das fases do ato criminoso” foi descartada. Nos últimos dias, aliados de Bolsonaro e apoiadores buscaram associar PT e PSOL, duas siglas de esquerda, ao crime.

Os partidos repudiaram a insinuação e entraram com ações na Justiça por difamação. A PF diz que a própria forma como a tentativa de homicídio foi cometida, usando uma faca de cozinha, torna menos crível que o criminoso tenha sido orientado por grupo organizado ou recebido suporte material ou financeiro. “A ação foi perpetrada de maneira extremamente rudimentar”, afirma o relatório.

Replicada em redes sociais, a suspeita de ligação de Adélio com o PCC (Primeiro Comando da Capital), por exemplo, foi investigada. A PF partiu da hipótese de que a eleição de Bolsonaro seria indesejada pela facção criminosa e que o autor poderia ter atuado a mando do grupo. Isso, porém, não foi comprovado.

Um sobrinho do esfaqueador que estava preso em uma penitenciária no interior de São Paulo chegou a ser rastreado, mas os investigadores concluíram que ele não tinha vínculo com nenhuma organização criminosa. O homem foi ouvido e negou qualquer envolvimento no planejamento da facada.

Outras teorias que circulam na internet foram esquadrinhadas –e “acabaram por ser minuciosamente desconstruídas”, narrou o relatório, enaltecendo “o rigor técnico” do trabalho.

“Muitas destas teorias tiveram como propósito envolver terceiros no evento delituoso a partir da perspectiva de quem as criava ou veiculava e, outras, em linha diametralmente oposta, colocaram em xeque a própria existência do ato criminoso”, afirmou o delegado.

“As dúvidas expostas por alguns ‘curiosos’ ou ‘interessados’ basearam-se em análises superficiais e pessoais que desconsideraram a existência de laudos periciais, prontuários médicos, levantamentos de campo, depoimentos, registros de sinais, enfim, evidências e diligências diversas” produzidas pela PF.

Procurada nesta quinta-feira, a Presidência da República afirmou que não comentaria o novo relatório da PF. À reportagem o advogado Antônio Pitombo, que representa Bolsonaro no processo, voltou a dizer que o atentado teve o envolvimento de mais pessoas. “A investigação criminal procura a verdade, e devemos envidar todos os esforços para apurar a coautoria por trás desse grave crime”, afirmou.

O advogado Zanone de Oliveira Júnior –que defendeu Adélio até o ano passado, quando ele passou a ser representado pela DPU (Defensoria Pública da União)– elogiou o inquérito da PF, reiterou que sua atuação se deu dentro das normas legais e repetiu que seu cliente cometeu o ataque sozinho.

O MPF, que recebeu o relatório, decidirá agora se pede o arquivamento do caso ou a realização de mais diligências. A manifestação do órgão será enviada ao juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora.

Adélio sempre sustentou a narrativa de que agiu a mando de Deus para tentar livrar o Brasil da vitória de Bolsonaro, que via como uma ameaça. No ano passado, ele recusou uma proposta da PF para fazer um acordo de delação premiada. Respondeu que, que, mesmo que quisesse, não teria ninguém para apontar.

Em março, a Justiça Federal autorizou que Adélio seja transferido do Presídio Federal de Campo Grande (MS) para um local onde possa receber tratamento adequado de saúde mental. A mudança, contudo, ainda não se concretizou.

O espaço indicado para receber o autor do crime é um hospital psiquiátrico em Barbacena (MG) –a 586 km de Montes Claros (MG), onde moram seus familiares. Os trâmites judiciais para efetivar a transferência foram prejudicados pela crise do coronavírus e pela ausência de vagas no estabelecimento.

Fonte:Folhape

Afogados: PT diz que entre Emídio e Clóvis Lira saíra candidato a prefeito

 

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Afogados da Ingazeira informou em nota que realizou reunião virtual no último dia 13.

Na pauta a definição da posição do PT nas eleições municipais em 2020 no município.

Por unanimidade dos membros da Executiva e Diretoria do  Partido, diante da conjuntura política atual, assim como em 2012 com Jair Almeida e em 2016 com Emídio Vasconcelos,  “a melhor alternativa do partido é apresentar uma candidatura própria a Prefeito”

O partido não concorda com a aliança entre José Patriota, Alessandro Palmeira e Totonho Valadares.  Diz que vai dialogar com a sociedade um projeto político e administrativo alternativo ao que está aí posto.

“A definição do nome, obedecendo ao calendário eleitoral, atenderá os prazos
estaturiamente definidos e ocorrerá após debates internos, respeitando a democracia interna que faz parte da história do PT”, diz a nota.

Ela conclui informando que existem dois nomes postulantes a encabeçar a  chapa: o de Emídio Vasconcelos, que foi candidato em 2016 e o advogado Clovis Lira.

“Por fim, também restou decidido uma mobilização forte dos filiados na  intenção formar uma chapa competitiva para concorrer ao cargo de vereador(a), uma  vez que se julgou de extrema importância o PT voltar a ter participação no legislativo  municipal”, conclui a nota,  assinada pela presidente Mônica Souto.

 

Fonte: Nill Júnior

 

Carnaval das Caretas 2019