oo

op

Daily Archives: 6 de maio de 2020

Descoberta de anticorpos para o coronavirus foi anunciada por Israel

Em comunicado, o instituto assegura que o anticorpo desenvolvido ataca e neutraliza o vírus nas pessoas doentes – FOTO: Yacy Ribeiro/ JC Imagem

O Instituto de Israel para a Investigação Biotecnológica, do Ministério da Defesa, anunciou que desenvolveu um anticorpo para o coronavírus e que prepara a patente para depois entrar em contato com empresas farmacêuticas, com o objetivo de produzir em escala comercial. Em comunicado, o instituto assegura que o anticorpo desenvolvido ataca e neutraliza o vírus nas pessoas doentes.

O Instituto de Israel para a Investigação Biotecnológica, do Ministério da Defesa, anunciou que desenvolveu um anticorpo para o coronavírus e que prepara a patente para depois entrar em contato com empresas farmacêuticas, com o objetivo de produzir em escala comercial. Em comunicado, o instituto assegura que o anticorpo desenvolvido ataca e neutraliza o vírus nas pessoas doentes.

“De acordo com os pesquisadores, liderados pelo professor Shmuel Shapiro, a fase de desenvolvimento do anticorpo foi concluída”, acrescenta a nota. O ministro da Defesa de Israel, Naftali Benet, visitou o laboratório do instituto em Nezz Ziona, ao sul de Tel Aviv, onde tomou conhecimento da pesquisa. Ele afirmou que o “anticorpo ataca o vírus de forma monoclonal” qualificando o trabalho desenvolvido como “grande conquista”.

“Estou orgulhoso do pessoal do Instituto de Biotecnologia por esse avanço. A criatividade e o pensamento judaico atingiram grande resultado”, disse o ministro na nota. O texto não especifica se foram realizados testes em seres humanos. Altos cargos do setor da defesa e da segurança israelita disseram que a descoberta é a “primeia desse tipo em nível mundial”.

De acordo com a publicação digital Times of Israel, no mundo há cerca de uma centena de equipes de investigação à procura de uma vacina para o novo coronavírus, que provocou a pandemia, sendo que cerca de uma dezena estão, neste momento, em fase de teste em seres humanos. Especialistas avisaram, em março, que o processo após o desenvolvimento de uma vacina em laboratório pode demorar pelo menos 18 meses.

O Instituto para a Investigação e Biotecnologia de Israel dedica-se, entre outras atividades, a investigar armas químicas, procurando antídotos contra novas substâncias. Em março, o jornal Haaretz publicou que o centro tinha conseguido avançar nas investigações sobre a vacina, tendo o Ministério da Defesa desmentido a informação.

Em nível global, segundo balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 250 mil mortes e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Preço da passagem aérea vai cair após quarentena, diz associação do setor

Os preços das passagens aéreas devem cair cerca de 40% quando acabarem as quarentenas, disse nesta terça (5) Brian Pearce, economista-chefe da Lata (Associação Internacional das Companhias Aéreas).

A redução já está acontecendo no mercado doméstico da China, diz ele, e reflete uma tentativa das empresas de estimular a demanda.

No país asiático, o número de reservas, que caiu 88% durante o lockdown, agora está em cerca de 45% do que era antes das quarentenas. Já as tarifas estão 40% abaixo da média.

A queda do preço vai acontecer principalmente nas rotas em que há competição entre empresas (80% dos trajetos, sendo que em 60% deles há pelo menos três concorrentes, segundo a associação).

O preço do combustível de aviação, hoje cerca de um terço do que era antes da pandemia, vai ajudar nessa estratégia, mas as companhias devem ver sua situação financeira agravada, porque os custos de operação vão subir, segundo Pearce.

Além de mais gastos com medidas de proteção e desinfecção, a maior pressão sobre os custos viria do chamado “cancelamento de assentos”: a obrigatoriedade de deixar uma poltrona vazia entre os passageiros.

Segundo o economista-chefe, para empatar receitas e custos é preciso voar com pelo menos 75% dos assentos ocupados, e a exigência de cancelar acentos permitiria no máximo uma taxa de 67%.

De acordo com dados de 122 companhias de vários países em 2019, só 4 chegavam ao ponto de equilíbrio com menos de 60% da ocupação.

Pearce afirmou que o preço das tarifas teria que subir entre 43% e 54% apenas para compensar os custos, se as empresas precisarem reduzir o número de passageiros por avião. Como a tendência será de queda das tarifas, o prejuízo ficará ainda maior.

Além de prejudicial para as finanças das empresas, o cancelamento de assentos não é a melhor forma de evitar contágio, afirmou David Powel, conselheiro médico da Iata.

O consultor citou acompanhamento de 1.100 pessoas feito depois que passageiros mostraram sintomas após viagens em quatro diferentes voos. Segundo Powell, nenhum dos outros ocupantes dos quatro aviões havia sido contaminado pelo coronavírus.

A Iata defende que, em vez de cancelar assentos, outras medidas sejam adotadas pelo setor para evitar contágios.

Segundo Powel, medidas como o uso obrigatório de máscaras, o faseamento de refeições (para que passageiros vizinhos não retirem a máscara ao mesmo tempo), a redução da circulação e do contato nas cabines (por exemplo, proibindo filas para usar o banheiro), a facilitação para a higiene das mãos e a desinfecção cuidadosa do avião são mais recomendadas que cancelar acentos.

A proposta que a Iata pretende discutir com autoridades nacionais e internacionais de saúde também inclui o controle de temperatura antes do embarque, a redução do contato no check-in e despacho de bagagens e a proteção reforçada para as tripulações.

Powell afirmou também que o fluxo de ar dentro do avião é dez vezes maior que em outros locais públicos, como cinemas e teatros, e que nos aviões modernos o ar passa por filtros potentes. “O risco de transmissão não é pelo ar da cabine, mas por gotas de saliva de alguém infectado”, disse o consultor.

No entanto, segundo ele, o fato de as pessoas estarem sentadas lado a lado, e não cara a cara, a barreira física dos encostos dos assentos e as outras medidas de prevenção sugeridas já reduzem significativamente o risco de contaminação.

STF autoriza depoimento de 3 ministros em inquérito sobre Bolsonaro

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu pedido apresentado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, na tarde desta terça-feira (5) e autorizou o depoimento de três ministros no inquérito que apura as acusações do ex-ministro Sergio Moro de tentativa de ‘interferência política’ do presidente Jair Bolsonaro no comando da Polícia Federal. O decano deu 20 dias para o cumprimento das diligências.

Celso de Mello autorizou as oitivas de Augusto Heleno (GSI)Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo). O decano também autorizou a entrega da gravação da reunião em que os ministros testemunharam uma suposta ameaça de demissão de Moro por parte de Bolsonaro, além dos depoimentos da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) e de seis delegados da Polícia Federal envolvidos na crise da troca de comando da PF do Rio de Janeiro, em agosto do ano passado.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou a cópia da gravação e autorização para colher os depoimentos de Heleno, Braga Netto e Eduardo Ramos, assim como da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). A parlamentar trocou mensagens com Moro nas quais pedia ao então ministro que aceitasse a exoneração do hoje ex-diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Em troca, ela influenciaria Bolsonaro a indicá-lo ao STF na vaga que abrirá em novembro.

O PGR também solicitou ao Supremo que aprovasse a oitivas com seis delegados da Polícia Federal envolvidos no atrito entre Bolsonaro e Moro em agosto do ano passado, quando o presidente tentou emplacar um nome de sua confiança para assumir a Superintendência da PF no Rio de Janeiro.

Além de Valeixo, Aras quer ouvir o ex-superintendente da PF no Rio Ricardo Saadi, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, o chefe da PF em Minas, Rodrigo Teixeira, o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagemque havia sido indicado por Bolsonaro para a direção-geral da PF, e o recém-indicado diretor-executivo da PF, Carlos Henrique de Oliveira Sousa.

Oliveira Sousa era o superintendente da PF no Rio, mas foi convidado pelo novo diretor-geral, Rolando Alexandre de Souza, para ocupar a cadeira número dois da corporação em Brasília. O movimento foi visto como uma mudança ‘estratégica’ do comando da corporação no estado.

Aras quer que os delegados prestem informações acerca de ‘eventual patrocínio, direto ou indireto, de interesses privados do Presidente da República perante o Departamento de Polícia Federal, visando ao provimento de cargos em comissão e a exoneração de seus ocupantes’.

Outro requerimento de Aras foi o acesso aos comprovantes de autoria das assinaturas da exoneração de Maurício Valeixo publicadas no Diário Oficial da União no último dia 23, além do documento com o pedido de exoneração solicitada por Valeixo ao presidente.

Ao anunciar demissão, Moro afirmou que não assinou a exoneração de Valeixo e indicou que ela não ocorreu ‘a pedido’, diferentemente do que constava no Diário Oficial. Mais tarde no mesmo dia, o Planalto editou novo decreto, afirmando que o anterior continha um ‘erro’ e retirando a assinatura de Moro do documento.

Confirmado primeiro caso de Covid-19 em Afogados da Ingazeira

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que foi confirmado nesta terça (05) o primeiro caso de Covid-19 no município.

Trata-se de um profissional de segurança, de 26 anos, que trabalha em Fortaleza e que reside há alguns meses em Afogados.

“Nossas equipes de saúde estão monitorando o caso e acompanhando o isolamento domiciliar do paciente e das pessoas que lhe são próximas. No momento ele passa bem e apresenta sintomas leves”.

A prefeitura informa ainda que mais cinco casos foram descartados para covid-19: o do paciente de 76 anos internado no HREC e de mais quatro profissionais de saúde e de segurança cujos testes rápidos deram negativo.

Sede da água Santa Rita é alvo de ação criminosa

 

A empresa Água Mineral Santa Rita, com sede em Iguaracy, foi alvo da ação de criminosos nesta terça (5). A sede fica no Sitio Lagoa da Mata.

Segundo as primeiras informações,  um grupo buscou a família que é responsável e pelo negócio.

Não há informações de quantos criminosos participaram da ação ou de quanto foi levado.  Pessoas ligadas à família falam em “momentos de terror” na ação. Apesar do susto, todos passam bem.

A Polícia Militar está em diligências para tentar capturar os bandidos. A Água Santa Rita, enriquecida em sais, com sede no município,  é líder no mercado regional. A marca também gerencia uma fonte em Ibimirim.

O blog já contou a historia de seu Francisco Antônio de Oliveira.

Ele descobriu a fonte por acaso, após adquirir um terreno na área rural de Iguaraci e não parou mais.

Sua água adicionada de sais é líder na região, regulamentada pelos órgãos de controle com testes diários de qualidade.

Passou a fabricar há alguns meses também o garrafão. E lançou uma marca própria de água mineral a partir de uma fonte em Ibimirim.

 

Fonte: Blog do Nill Júnior

Carnaval das Caretas 2019