op

Daily Archives: 10 de setembro de 2019

Trump: Negociações com Talibã estão ‘mortas’

O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, afirmou, nesta segunda-feira (9), que as negociações com o Talibã estão “mortas”. Para Trump, os rebeldes cometeram um grande erro ao pensarem que, matando, iriam estar em uma condição melhor para tentar um acordo.

A Casa Branca vinha conduzindo o diálogo entre o governo do Afeganistão e o grupo radical há quase um ano. Entretanto, no último fim de semana, Trump cancelou um encontro secreto com líderes do Talibã depois que o movimento reivindicou um atentado que deixou 12 mortos em frente a embaixada dos EUA na última quinta-feira (5). Durante o ataque, um soldado americano faleceu.

Em resposta, o Talibã afirmou que o fato de os Estados Unidos terem suspendido os diálogos só vai gerar mais perdas para o país.

A expectativa de Trump, antes do atentado, era de se encontrar separadamente com representantes dos dois lados. Ele afirmou ainda que o presidente afegão, Axraf Gani, e o líder do Talibã, Abdul Baradar, haviam concordado em se encontrar em Camp David, a casa de campo da presidência americana.

Nesta segunda-feira (9), o Trump alegou que a vontade dos Estados Unidos é retirar os soldados do Afeganistão, mas que isso só será feito na hora certa. A presença americana em território afegão tem início em 2001, quando o Talibã governava o país e decidiu proteger Osama Bin Laden, responsável pelos atentados de 11 de setembro.

Na época, os Estados Unidos bombardearam o Afeganistão e, aliado a outras potências, conseguiu remover o Talibã do poder. 18 anos depois, o movimento segue exercendo pressão por meio de e atentados e pode voltar a ter um papel central no governo se as negociações de paz forem bem sucedidas.

*Com informações da repórter Renan Porto

MPF denuncia Lula, irmão e executivos da Odebrecht por corrupção

A força-tarefa da Lava Jato em São Paulo denunciou por corrupção passiva continuada o ex-presidente Lula e o irmão dele, José Ferreira da Silva, conhecido como Frei Chico.

Os donos da Odebrecht, Emilio e Marcelo Odebrecht, e o ex-diretor da empresa Alexandrino Alencar também foram denunciados nesta segunda-feira (9) no mesmo processo.

De acordo com o Ministério Público Federal, Frei Chico teria recebido, entre 2003 e 2015, uma “mesada” da empreiteira, que variava de R$ 3 a R$ 5 mil por mês.

Em delação premiada, Alexandrino Alencar disse que, antes de Lula ser eleito presidente, mantinha Frei Chico como um consultor contratado para intermediar um diálogo entre a construtora e trabalhadores. A sugestão teria sido do próprio ex-presidente.

Na delação, de abril de 2017, Alencar disse que a relação com o irmão de Lula mudou após a eleição presencial.

No total, os pagamentos indevidos teriam somado mais de R$ 1 milhão. Os repasses, segundo os procuradores, eram parte de um pacote de vantagens indevidas oferecidas a Lula em troca de benefícios obtidos pela Odebrecht junto ao Governo Federal.

Agora, caberá à Justiça Federal em São Paulo decidir se os cinco acusados viram réus no caso.

Defesa

Em nota, a defesa de Lula afirmou que a denúncia “repete as mesmas e descabidas acusações já apresentadas em outras ações penais contra o ex-presidente”. Os advogados sustentam que “Lula jamais ofereceu ao Grupo Odebrecht qualquer ‘pacote de vantagens indevidas’, tanto é que a denúncia não descreve e muito menos comprova qualquer ato ilegal praticado pelo ex-presidente. A nota destaca que o “ex-presidente jamais pediu qualquer vantagem indevida para si ou para qualquer de seus familiares”.

Já a Odebrecht reforçou que “tem colaborado com as autoridades de forma permanente e eficaz, em busca do pleno esclarecimento de fatos do passado.”

*Com informações do repórter Afonso Marangoni

Carnaval das Caretas 2019