Daily Archives: 4 de abril de 2019

“A arbitragem entre Náutico e Afogados foi desastrosa”, afirma Evandro Carvalho

A arbitragem do jogo entre Náutico e Afogados, ontem, nos Aflitos, ainda repercute. Os auxiliares Bruno César e Ricardo Jorge Nunes alteram o ruma da partida ao erraram em lances cruciais. A primeira polêmica veio no gol de Luiz Henrique, no qual o volante alvirrubro estava em posição de impedimento, mas que foi não foi marcado, e gerou revolta dos jogadores da Coruja. No segundo tempo, a situação se inverteu, e o Timbu teve gol do atacante Odilávio mal anulado. Em entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, reconheceu os erros dos dois assistentes, principalmente, em relação ao primeiro gol da partida.

“A arbitragem foi desastrosa. Se eu estivesse ali teria marcado impedimento. É frustante ver tanto esforço e passar essa impressão de que a federação age contra um clube do interior. Não tem nada mais benéfico para o futebol do que ter um time do interior campeão. Mas um erro como esse tira uma equipe da competição. Eu já mandei um pedido formal de desculpas, pois eu acho que a federação tem que reconhecer. É realmente injustificável (o erro). Temos que repensar a arbitragem. Terminado as finais eu vou conversar com a diretoria e ver o que ocorre”, garantiu.

O presidente também esclareceu sobre o que acontece com o árbitros ou assistentes que cometem erros durante os jogos do Campeonato Pernambucano. Segundo ele, não há “geladeira”, mas uma reavaliação, pelo qual devem passar Bruno César e Ricardo Jorge Nunes.

“Nós não temos ‘geladeira’. Quando erra é por deficiência técnica, física e por falta de concentração. Quando o arbitro é sindicalizado, o que a FPF faz é devolver ao sindicato e pedir para verificar os erros e trabalhar para corrigir. Isso passa por aulas, de natureza técnica, e passa por acompanhamento de psicóloga e assistência social”, informou.

Fonte: Afogados Online

Deputado João Paulo Costa alerta para débitos do Governo do Estado com fornecedores

A realização de reunião entre parlamentares e o secretário estadual da Fazenda, Décio Padilha, mediada pela Comissão de Finanças da Alepe, foi sugerida pelo deputado João Paulo Costa (Avante) nesta quinta (4). Em pronunciamento no Plenário, ele manifestou preocupação com o montante de restos a pagar pelo Governo Estadual.

“Ao longo dos últimos dez anos, o volume de valores inscritos em restos a pagar vem crescendo bastante, sinalizando que Pernambuco não tem conseguido fechar o ano com os recursos previamente aprovados na Lei Orçamentária Anual”, frisou. Restos a pagar são despesas empenhadas durante o ano, mas não pagas até o dia 31 de dezembro.

“Na lista de empresas aguardando pagamento, estão fornecedores de medicamentos e prestadoras de serviços essenciais”, destacou o parlamentar. Como exemplo, citou a Fundação Altino Ventura, instituição filantrópica. “Cirurgias estão sendo canceladas.” Também falou sobre o Laboratório Farmacêutico do Estado (Lafepe): “Está com saldo de R$ 8 milhões para receber”.

“Além de comprometer a prestação dos serviços, esse atraso afeta o equilíbrio financeiro das empresas contratadas, resultando em atraso de salários e demissão”, alertou. Ao finalizar o discurso, Costa observou a importância de a Comissão de Finanças atuar como interlocutora entre a Secretaria da Fazenda e o Poder Legislativo para que o assunto seja discutido.

Fonte: Afogados Online

Carnaval das Caretas 2019